PARADA - Lar, Doce Lar - Meu Berço e meu Refúgio

PARADA - Lar, Doce Lar - Meu Berço e meu Refúgio
A mesma Parada vista por dois olhares

26 de julho de 2014

Há festa na nossa aldeia

Meus caros amigos, conterrâneos e leitores!

S. Roque Hoje, ao fazer uma reflexão sobre os tempos do meu percurso de vida, veio-me à memória o tema deste trabalho.

Na verdade, considerando o trabalho árduo e generoso de todos quantos, ao longo dos anos, deram o seu contributo para que as festas se tornassem num puro ambiente de convívio social e festivo, creio ser de profunda obrigação, louvar todos os mordomos das nossas festas.

Sou do tempo, e todos os da minha geração devem recordar, quando as ofertas eram feitas em géneros. Oferecia-se alqueires de cereal, chouriços e demais produtos, para posteriormente serem vendidos, realizando as verbas para custear as despesas das festas.

Tudo se tem transformado. Actualmente as dádivas são em numerário, minimizando os trabalhos que outrora eram difíceis.

DSC_0579 Em Parada, como na generalidade das aldeias portuguesas, no mês de Agosto, realiza-se a festa anual. Os nossos emigrantes, visitam-nos, os migrantes também marcam presença na sua terra, aí se confraterniza e organizam os mais variados eventos, actividades desportivas e culturais, enfim, tudo o que nos torna felizes e nos faz esquecer por alguns momentos a vida difícil do quotidiano.

No ano transacto, um grupo de amigos conterrâneos, cheios de boa vontade, voluntariaram-se a organizar as nossas festas em honra de S. Roque e Sr.ª do Carmo. A sua juventude e dedicação, são de grande envergadura, o que sinceramente demonstra grande generosidade.

Recebi o programa devidamente elaborado, que considero estar excelente. Nada foi esquecido, desde o musical ao fogo-de-artifício. Não falta a tradicional Banda Filarmónica, o Quim Barreiros e magníficos conjuntos. Os horários para as actividades, estão bem elaborados.

Eu, sinceramente, faço questão de registar neste meu/vosso humilde espaço virtual a intenção de prestar uma GRANDE HOMENAGEM a esta Comissão de Festas, ao mesmo tempo que englobo todos quantos já tiveram o privilégio de ao longo dos anos prestarem este grande serviço em prol da nossa aldeia. A todos o meu Bem-hajam e que S. Roque nos proteja para dar continuidade às nossas festividades e tradições.

Para ilustrar este trabalho, aqui vos deixo o Programa das festas, gentilmente cedido pelos mordomos.

FestasParada - 2014  cartaz_BTT-Parada-2014-(1)[1]

Força PARADENSES, a festa vai ser de arromba. Juntando a minha voz à dos mordomos, deixo-vos o pedido para que todos compareçamos em força na nossa terra e mais uma vez a dignifiquemos e honremos. A todos cumprimento e englobo num fraternal abraço.

Manuel Afonso ( Manuel Silvino )

9 de abril de 2014

JANTAR CONVÍVIO – PARADENSES EM LISBOA

29 De Março de 2014

Meus caros amigos, conterrâneos e leitores

Há muito, mesmo muito, que eu sonhava com o evento que ocorreu na data supra.

Três conterrâneos, Dr. Marcolino, José Alberto Padrão e Duarte Lopes, encontram-se num restaurante e surge a ideia - Vamos organizar um Jantar Convívio com todos os Paradenses residentes na região de Lisboa. Mais rápido do que o pensaram, assim deitaram mãos à obra.

1JantarConvivioParadense Agendaram a data 29 de Março de 2014, hora, local e lista de contactos, dando início à tarefa.

Foi muito bom e desde já quero manifestar o meu apreço pelo vosso empenho. Bem hajam e que este seja o 1º de muitos que possam seguir-se. São estes os votos que formulo para o futuro.

Os organizadores deram o seu melhor e correu tudo muito bem, de tal forma que senti nos presentes vontade inequívoca que o gesto se repita.

O Evento ocorreu no Restaurante o POÇO - Queluz. Contou com 67 presenças. Vi amigos e familiares, troquei impressões, convivi num agradável ambiente.

DSC_1159 DSC_1170DSC_1171  DSC_1181DSC_1189

Ouvi com atenção os oradores, registei com agrado as suas palavras, aplaudi satisfeito e com admiração. Mais uma vez o meu muito obrigado pelo vosso esforço e em simultâneo registar a magnífica adesão dos Paradenses.

 

 DSC_1207 DSC_1210 Foi proposto nomear uma comissão para organizar o próximo encontro. O Apolinário, voluntariamente dispôs-se a assumir essa tarefa, chamando-me a mim e ao José Emílio para o acompanhar. Assim, o próximo evento será da responsabilidade do Apolinário, Manuel Afonso e José Emílio. A seu tempo informar-vos-emos da data, hora e local do evento.

Permitam-me que partilhe algumas imagens gentilmente cedidas pelo Engº Vitor Cordeiro, marido da Lenita. Elas, fielmente captaram e demonstram o excelente momento e irão fazer parte do acervo de memória futura.

Aproveito este post para chamar a atenção de todos os Paradenses, para o facto de hoje, dia 10 de Abril de 2014, fazer 100 anos de vida, o nosso conterrâneo Esteves e assim sendo apelar à vossa preciosa atenção para a singela homenagem que tive a honra e oportunidade de lhe dedicar, aqui neste meu/nosso lugar, a qual julgo que seja por todos comungada.

Num abraço fraterno, os meus cumprimentos e VIVA PARADA.

Manuel Afonso (Manuel Silvino)

1 de abril de 2014

Um Século – Uma Vida

Meus caros conterrâneos, leitores e amigos.

Hoje apetece-me gritar Sr. Manuel Esteves bem alto um SONORO PARABÉNS.

Parabéns ao Sr. Manuel Esteves, extensivo a toda a sua família.

Faz hoje 100 ano que nasceu na minha querida aldeia este amigo. Homem simples, oriundo de família humilde, mas muito honesta, generosa e trabalhadora.

Não vou dizer muito sobre esta personagem, porque já o fiz em textos já publicados no meu/vosso Blog.Um século - Uma vida

Hoje apenas e tão só quero enviar-lhe a ele e a toda a sua família aquele forte abraço e pedir-vos que me deixem comungar da vossa felicidade.

DEUS dê muita saúde para o resto da sua vida.

Manuel Afonso (Manuel Silvino)

7 de março de 2014

Natureza – Património Histórico

Meus caros amigos, conterrâneos e leitores

Mais uma visita à minha majestosa aldeia para passar um curto período de repouso. As condições climatéricas não foram as mais desejadas, mas deu para passear, confraternizar com família e amigos.

Como sabem, sou um apreciador de fotografia, natureza, gentes e costumes. Resolvi munir-me da minha inseparável máquina fotográfica, parti em direcção ao nosso Rio Sabor, onde colhi algumas imagens que pretendo registar e partilhar neste meu/nosso espaço virtual.

Panoramica da aldeiaParada, é uma aldeia magnífica. Distingue-se pela riqueza cultural, humana e ambiental. Produtiva em agricultura. Aumenta galopantemente a plantação de castanheiros, oliveiras e restantes produtos agrícolas. A sua população é trabalhadora e utiliza o sistema da entreajuda para vencer as dificuldades. As máquinas agrícolas, fizeram com que as pessoas tenham capacidade de resposta para levar de vencida toda a faina. Outra produção que me apraz registar é a do vinho, qualidade e quantidade. A gastronomia, essa então faz as delícias dos nossos visitantes.Vista da aldeia

Neste contexto, ao chegar a Vale de Pereiros resolvi voltar a minha objectiva sobre a aldeia, fiz dois cliques para levar a imagem a todos os meus leitores.

Para vos descrever os objectivos que me levaram ao Rio Sabor, quero realçar a sua beleza natural, coroada com a célebre Ponte Romana sobre o seu leito, fazendo a ligação à aldeia de Outeiro.

ponte romana 2  Ponte romana

ponte romana 3

Parada tem o privilégio de desfrutar deste magnífico Rio Sabor, com águas límpidas e despoluídas.

O Rio Sabor, nasce na Serra de Gamoneda , na província de Zamora, Espanha, entra em Portugal, atravessa a Serra de Montesinho, distrito de Bragança, é um afluente da margem direita do Rio Douro, onde desagua a jusante da Barragem do Pocinho, mais concretamente na aldeia de Foz do Sabor.

leito do rio (2)  leito do rio

Para falar deste Rio, talvez seja arriscado da minha parte, sei que alimenta as populações com bons peixes, nas suas margens existe uma diversidade de fauna, a sua paisagem deslumbra-me. Os acessos já se encontram facilitados, fruto do trabalho das autarquias.

Ao partilhar com todos os meus leitores, amigos e conterrâneos este singelo texto e imagens, deixo o meu afectuoso abraço.

Manuel Afonso (Manuel Silvino)

5 de fevereiro de 2014

CONFRATERNIZAR

Meus caros amigos leitores e conterrâneos

Ciclicamente reúno com um grupo de amigos para socialmente debatermos alguns temas da actualidade ou de interesse notório, degustarmos alguns pratos que nós próprios confeccionamos e no final e no campo lúdico/desportivo jogarmos uma bela “sueca”. A este grupo de amigos convencionámos dar o nome de “Confraria O Bom Garfo”.

Nas minhas instalações, garagem, instalei um mínimo de condições para podermos confeccionar os nossos magníficos almoços.

É para mim um prazer poder partilhar convosco estes momentos. Sinto-me muito bem acompanhado e tento tirar partido desta minha nova vida de aposentado. Esforço-me para controlar os excessos gastronómicos, sempre com plena convicção que tenho que aproveitar os bons momentos que estes convívios me proporcionam.

Registo para a posteridade e vou decididamente continuar a conviver com o Rodrigues (cozinheiro), Limão, Miguel, Fernandes, Gonçalves, Granja, Américo, Júlio e Capitão Sant’Águeda.

Deixo-vos algumas fotos da última patuscada, ontem dia 04 de Fevereiro e que continha como prato principal – Couves com Carne (em algumas localidades, mais conhecido como cozido à portuguesa).

Alguns ingredientes  Rodrigues - O Mestre Cuca

À espera dos Comensais  Alguns dos Confrades

Duas mesas de "Sueca"  As garrafas não são para enfeite

Cumprimento todos quantos fazem o favor de ser meus amigos e leitores.

Manuel Afonso (Manuel Silvino)